Os certificadores mais temíveis, os fiscais mais exigentes dos nossos produtos somos nós mesmos. Nós submetemos a nossa produção aos testes mais difíceis, não efetuando meros ensaios enganáveis, adequados somente para as propagandas publicitárias e para as promoções comerciais, mas ensaios funcionais, mais focalizados à simulação de eventos reais aos quais os produtos podem ser submetidos no decorrer dos anos.

A resistência e a duração do caixilho, com o passar dos anos, é garantida pela qualidade dos materiais e pela sua montagem:
– chapa zincada de primeira escolha de 6/10 e 9/10 que constitui o caixilho;
– os painéis com dobras horizontais que tornam a estrutura mais rígida e forte;
– a rede electrosoldada oferece uma tolerância de movimento considerável;
– os rodízios possuem uma capacidade estática de 120Kg.

A resistência e a durabilidade do caixilho foram testadas nos laboratórios da Entidade Certificadora “Istituto Giordano” através de uma série de ensaios e testes efetuados nos produtos:
– Relatório de ensaio n. 285820 “Determinação da carga de ruptura dos rodízios para portas de correr”.

Tal ensaio, efetuado para verificar a capacidade real estática, evidenciou que os rodízios utilizados no caixilho demonstraram os primeiros sinais de avaria após uma carga de tração média de 575 Kg e, então, bem superior à carga de 120 kg prescrita pela empresa. – Relatório de ensaio n. 285821 “Resistência contra colisões de corpo mole e corpo duro na parede interna simples, segundo a norma UNI 8201:1981”.

Tal ensaio foi efetuado para avaliar a resistência do produto contra as colisões que acidentalmente podem se verificar dentro de um edifício. O ensaio, segundo as prescrições da norma UNI 8201:1981, foi efetuada submetendo a amostra a uma série de colisões de corpo duro de 1 kg (esfera de aço) e corpo mole de 50 kg (invólucro de couro que continha esferas de vidro). Tais colisões foram efetuadas fazendo os corpos de impacto cair, com andamento pendular e com altura de queda de 200 mm, para o corpo duro, e 300 mm para o corpo molde. No término do ensaio, após a verificação da amostra, obteve-se o seguinte resultado: “nenhuma lesão”.

– Relatório de ensaio n. 285823 “Provas mecânicas em acessórios para portas de correr suspensas, segundo a norma UNI EN 1527:2000”
Tal ensaio foi realizado segundo as prescrições da norma UNI EN 1527:2000, para avaliar a resistência do produto com o passar dos anos e, especialmente, aqueles elementos acessórios como a calha e os rodízios que estão mais sujeitos a desgaste. O ensaio é composto por uma série de testes que evidenciaram a durabilidade do produto, com o passar do tempo, nas condições mais rígidas de uso:
Resistência estática. Ensaio nos quais foi inserido um peso de 120 kg na calha (para simular uma porta) durante 15 min, com resultado “deformação permanente = 0” Duração. Ensaio no qual o conjunto calha-rodízios foi submetido a um esforço de 60kg (peso hipotético de uma porta) a um número de ciclos de abertura e fechamento igual a 150.000. O ensaio foi completado sem a presença de danos, mas somente com “sinais ligeiros nas rodas dos rodízios”, que evidenciaram como o produto, no hipotético caso em que é submetido a um número de 14 ciclos de abertura-fechamento por dia, pode durar sem problemas por mais de trinta anos.
Ensaio de atrito inicial antes e depois de 150.000 ciclos. Ensaio no qual se verificou o esforço necessário de movimento da porta antes de efetuar os 150.000 ciclos de simulação abertura-fechamento depois na presença de eventuais sobrecargas criadas pelo desgaste.
O ensaio não evidenciou somente que o esforço necessário para o movimento da porta é de 0,8 Kg, mas que no término dos 150.000 ciclos (correspondentes a um uso de trinta anos) o esforço necessário permaneceu invariado, demonstrando a alta resistência ao desgaste do produto.